CategoriesDicas Pets

Cachorro em apartamento: como escolher o companheiro ideal para morar com você

Os cachorros ainda ganham a preferência da maioria dos brasileiros na hora de escolher um animal de estimação. No Brasil, estão presentes em 33,8 milhões de casas, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para quem vive em apartamento e está pensando em adotar um cão, é importante saber que é possível ter qualquer tipo de pet, independentemente do tamanho, seja do animal ou do imóvel, já que o cachorro não precisa de tanto espaço quanto se imagina. Porém, algumas variáveis podem ser determinantes para acertar na escolha.

Segundo a veterinária Manuela Passos, a principal necessidade do cachorro é gastar energia e a escolha não está relacionada ao tamanho do apartamento. “É possível criar um golden retriever ou um labrador em apartamento, mas precisa estar atento à questão da energia. Se o tutor, por exemplo, trabalha muito e não vai ter muito tempo para descer ou brincar, não deve pegar um cão com muita energia, como um labrador”, afirma. 

 

Outra questão é avaliar o perfil comportamental da raça para ter o cachorro em apartamento. “Se uma criança for cuidar do cão, é melhor evitar os mais dominantes porque ele vai mandar na casa porque não vai ter ninguém mais dominante em cima dele. Outros perfis são mais sociáveis, como bulldogs, mas têm muita energia e vão demandar mais atividades. Já o Golden, se o tutor dorme o dia todo, ele também vai dormir, mas demanda um cuidado maior com a pele”, detalha. 

 Cachorro em apartamento: o bulldog francês Tom precisa de atividades para gastar a energia
O bulldog francês Tom precisa de atividades para gastar a energia – Crédito da foto: Tom.obuldogue/Divulgação

Para quem vai adotar um vira lata, ainda que não se conheça o perfil de cada, a relação com o apartamento também costuma ser tranquila. “Animais adotados e resgatados têm uma gratidão que não é vista em outros animais, principalmente se forem adultos, eles não costumam destruir a casa”, acrescenta Manuela Passos. 

Cachorro em apartamento: o vira lata Rufus foi adotado já adulto e é bastante tranquilo
O vira lata Rufus foi adotado já adulto e é bastante tranquilo – Crédito da foto: Luchino Marchi/Divulgação

Convivência com os vizinhos quando se tem cachorro em aparamento

Ainda é preciso ficar atento à convivência com vizinhos. “Gastar a energia do cachorro pode evitar latidos, choro e ansiedade e, portanto, problemas com vizinhos”. Também é preciso atenção às regras do condomínio. “Não existe regra que possa ultrapassar a do município, no geral não se pode proibir cachorro em apartamento. Mas alguns condomínios não permitem cães grandes no elevador, então é preciso ter cuidado porque algumas raças não toleram descer escada, como labradores mais velhos. Outra questão é que alguns condomínios permitem elevador com a guia, outros no colo, mas não as pessoas não vão conseguir com um cão grande”.

 

Fonte:   Zap Imoveis

CategoriesPets Saúde

6 dicas fundamentais para você cuidar de animais em apartamento

Principalmente para quem precisa conciliar as necessidades de um animal de estimação com a vida em apartamento, entender a dinâmica e as regras dessa relação é fundamental para que tanto pets quanto tutores tenham uma vida mais feliz e confortável. Entretanto, mesmo com esses detalhes, manter animais em apartamento é perfeitamente possível, desde que respeitados.

 

Principalmente para quem precisa conciliar as necessidades de um animal de estimação com a vida em apartamento, entender a dinâmica e as regras dessa relação é fundamental para que tanto pets quanto tutores tenham uma vida mais feliz e confortável.

Entretanto, mesmo com esses detalhes, manter animais em apartamento é perfeitamente possível, desde que respeitados os cuidados necessários, como as exigências do condomínio e as condições adequadas para o dia a dia de seu bichinho. 

Foi exatamente por isso que preparamos este post. Aqui, apresentaremos as principais dicas para quem tem ou deseja ter animais em apartamento!

O que a legislação diz sobre animais em apartamento?

Para que não restem dúvidas, é importante deixar claro: nem síndico nem proprietário (no caso de locações) podem proibir a permanência do seu animal no apartamento, pois estariam violando diretamente o seu direito à propriedade. Além disso, visitantes também não podem ser proibidos de entrar com seus pets, já que isso implica inadequações com relação ao direito de ir e vir, assim como causa constrangimento ao tutor do animal. A única pessoa que dispõe de autoridade para designar a retirada do mascote, caso o tutor não apresente uma defesa plausível, é um juiz de direito.

Vale lembrar que, ainda assim, é necessário respeitar algumas regras básicas, como não deixar que o animal incomode os outros moradores, utilizar focinheira e evitar que o bicho esteja solto em áreas comuns (apenas no caso seja bravo) e sempre recolher os dejetos deixados pelo animal.

Lembre-se também de que se o seu pet já vive no apartamento há mais de 5 anos e nunca recebeu uma reclamação, ele não pode ser removido, mesmo que as regras do edifício sofram alterações. Caso esse direito não seja respeitado, é possível recorrer judicialmente — os juízes, inclusive, tendem a favorecer a permanência do animal.

Como criar o seu pet em um apartamento?

Para garantir uma vida feliz ao seu companheiro, é imprescindível seguir alguns passos, que, apesar de bastante simples, são muito importantes. 

1. Conheça as regras do condomínio

Já ciente de seus direitos, é interessante se alinhar às regras do condomínio ou administração do edifício. Tenha em mente que o regulamento pode variar de acordo com cada lugar, sendo mais flexível ou mais exigente. Entender o funcionamento do seu prédio é importante para garantir o bem-estar de seu pet e dos demais moradores, além de evitar constrangimentos.

2. Priorize a segurança de seu pet 

Um dos pontos mais importantes para garantir uma vida tranquila para seu bichinho é ter atenção à segurança dele. Pensando nisso, instale telas de proteção nas janelas e tenha cuidado com fios elétricos expostos. Assim, você evita possíveis acidentes que seriam desastrosos para seu animal de estimação.

3. Não descuide da higiene 

Como o ambiente de permanência do animal é bastante reduzido em um apartamento, tenha especial atenção à higiene, tanto do pet quanto do ambiente. Utilize produtos específicos para eliminar o odor de urina e fezes, de modo a evitar a proliferação de microrganismos. Também é imprescindível ter uma rotina regular de banho e tosa (se preciso), além de manter em dia a desparasitação e o calendário de vacinação.

4. Cuide da saúde mental de seu bichinho 

Esse é, talvez, um dos pontos mais importantes dessa lista. Isso porque a saúde mental do seu animal tem uma influência muito grande sobre a felicidade dele. Então mantenha uma rotina de passeios diários, já que isso permite que o pet se exercite e se divirta. Ademais, enriqueça o ambiente com brinquedos, desafios e recompensas ao seu bichinho.

5. Opte por um apartamento com área de serviço

Mesmo que o seu pet esteja habituado a fazer as necessidades apenas durante os passeios, há sempre aqueles dias em que não é possível sair de casa, como durante chuvas muito fortes. Assim, uma boa saída é ter um apartamento com área de serviço para que o animal tenha uma alternativa.

6. Proporcione um treinamento adequado 

Para garantir que todas as dicas sejam efetivas, é importante proporcionar o treinamento adequado ao seu mascote. Desse modo, você evita comportamentos inadequados e facilita a sua rotina. Além dos habituais truques, como sentar e dar a pata, é importante ensinar o animal a respeitar os seus “nãos”, entender em que lugar ele pode ou não fazer xixi etc. Uma boa prática é socializar o bichinho desde filhote para que, futuramente, ele não apresente problemas de comportamento, tanto com relação a pessoas como a outros animais.

Para evitar conflitos com os outros moradores ou com a administração do edifício, esteja alinhado às políticas do condomínio e às exigências do síndico. Assim, é possível garantir uma vida tranquila para o seu pet e evitar desgastes com seus vizinhos.

Fonte: Imóvel Web

CategoriesDicas Pets

Cinco dicas para levar seu cão para passear em tempos de quarentena

Os cuidados com o seu pet devem ser mantidos apesar das circunstâncias que possam surgir, sejam por motivos pessoais ou por uma recomendação em nível local ou nacional. Caso você esteja com acesso limitado (restrito) a ambientes externos, levar seu cão para passear a fim de que ele faça suas necessidades fisiológicas deve ser uma atividade feita com responsabilidade. Para isso, compartilhamos as recomendações a seguir.

1. Lave as mãos antes de sair.

É importante que você lave as mãos de forma adequada com água e sabão antibacteriano por pelo menos 20 segundos.

2. Apenas uma pessoa deve sair com o pet.

Se houver limitações ou restrições estabelecidas por órgão oficial para sair às ruas, faça sua parte e tente fazer com que o seu pet saia apenas com uma única pessoa. 

3. Evite a socialização com outras pessoas e/ou outros pets.

Mantenha uma distância responsável de pelo menos 1,5 metros, conforme indicado pelas autoridades. Você deve sair com o seu pet o mais brevemente possível, para que ele consiga fazer suas necessidades fisiológicas.

4. Faça um banho higiênico em seu pet ao voltar para casa.

Limpe as patas de seu cão com água ou lenços antissépticos sem álcool. Depois lave bem as mãos e troque de roupa.

5. Faça um passeio de manhã bem cedo e/ou à noite.

É recomendável sair ao ar livre em horários com menor probabilidade de circulação de pessoas.

Nessas circunstâncias, as dúvidas surgem tão rápido quanto às atualizações de informações. É importante consultar fontes confiáveis de órgãos oficiais, para que você possa tomar as melhores decisões para o seu próprio cuidado e o cuidado de seu pet.

Fonte: Purina

CategoriesDicas Pets Saúde

9 produtos para o seu Pet ter em Casa

A chegada de um gatinho ou cachorrinho em casa gera empolgação. Todo mundo quer fazer carinho e brincar. Só que existe uma preparação para a chegada do novo morador. Além de ter um cantinho próprio, o bichinho ficará mais confortável e feliz se já encontrar alguns itens. Confira nove produtos para o pet que não podem faltar no seu lar.

Produtos para o pet ter um cantinho na casa

1 – Caminha

Produtos para pet - caminha

O primeiro produto para pet é bem óbvio: uma caminha. Ela será o espaço para dormir e até mesmo brincar. Para comprar a caminha ideal é essencial saber o tamanho do bichinho e o quanto ele ainda vai crescer. O veterinário é o profissional indicado para dar essas medidas. Com esta informação em mãos, é hora de olhar as opções. 

Além da diferença de tamanho, as caminhas têm uma infinidade de estampas, tecidos e tipos de colchão. No decorrer do tempo é necessário cuidar da limpeza e observar o quanto ela pode estar desgastada. Seu pet também precisa dormir bem.

2 – Vasilhas de ração e água

Tão importante quanto ter o cantinho para dormir é ter um espaço para se alimentar, por isso além da caminha é necessário já ter as vasilhas onde serão colocadas a ração e a água dos pets. Fique atento para não deixar a água acabar e siga a dieta sugerida pelo veterinário. 

Mantenha as duas em um local onde as pessoas da casa e os visitantes não chutem ou pisem por acidente. Não esqueça de higienizar as vasilhas e até mesmo trocar quando estiverem desgastadas. 

3 – Caixa de areia e granulado

9 produtos para o pet ter em casa

Para os gatinhos existe um item indispensável. Se você já visitou alguém que tem um felino provavelmente deve ter notado uma caixa de areia e granulado. É nela onde os gatos fazem suas necessidades. 

Existem no mercado diversas opções de caixas e granulados. Cada uma delas oferece características diferentes, como ser mais eco-friendly ou durar mais. O preço vai variar de um tipo para o outro. 

Produtos para o pet ter em casa para se divertir

4 – Brinquedos

9 produtos para o pet ter em casa

Hoje em dia existem diversos produtos para os pets se divertirem em casa. Os brinquedos variam desde a tradicional bolinha até bichinhos. Para os cachorros geralmente são para morder. 

Já para os gatos, os brinquedos costumam ser para arranhar ou varinhas com guizos para fazê-los pular. Brinquedos estimulam os pets, pois eles também precisam de atividades para os músculos e até mesmo marcar território. 

5 – Arranhador

Falando em brinquedos para arranhar, um produto para os gatinhos terem em casa para se divertir e ajudar no bem-estar são os arranhadores. Com eles, os felinos ganham uma série de benefícios, como: 

  • Afiar e lixar as unhas; 
  • Alongar-se;
  • Deixar seu odor natural, marcando assim seu território;
  • Aliviar a vontade de arranhar outros móveis da casa. 

Produtos para o pet que são essenciais para os donos

6 – Coleira

Para os cachorros, as coleiras são essenciais para passear. Elas também cumprem outra importante função. Os donos podem colocar nelas informações para contato caso os bichinhos se percam. Nesse ponto o mesmo vale para os gatos. 

Só que isso não significa que elas não possam ser usadas para deixar seu pet com estilo. Existem muitos modelos de coleiras. Tem todas as cores e pingentes em vários formatos para gravar as informações. 

7 – Pente e escova  para pelos

9 produtos para o pet ter em casa

Cachorros e gatos costumam soltar bastante pelo, principalmente aqueles de raça de pelos longos. O pente e a escova são produtos para o pet que ajudam a tirar os pelos em excesso e evitam que se espalhem pela casa. O mercado oferece uma variedade desses produtos. Converse com o seu veterinário para saber qual é o mais indicado para seu bichinho.

Produtos para o pet ter personalidade

8 – Roupinhas

9 produtos para o pet ter em casa

Há tempos que as roupinhas se popularizaram entre os pets. A variedade de estampas e estilos garante uma personalidade única para cada cachorro ou gatinho. Eles também podem ser rockeiros ou geeks, por exemplo. Assim como para nós, as roupinhas vão além do estilo. Uma de suas utilidades é aquecer os pets em época de frio. 

9 – Fonte de água para beber

Os gatinhos gostam de objetos em movimento. Uma fonte de água em casa é útil para chamar a atenção principalmente para lembrá-los de se hidratar. Ao mesmo tempo elas podem dar um charme para a casa ou para o cantinho do felino. 

Em caso de dúvidas sobre que produtos para o pet comprar sempre consulte um veterinário!

Fonte: Zap

CategoriesPets

Ano Novo: cuidados com cães e gatos

Donos de pets sabem como os bichinhos se assustam com fogos de artifício. Veja os cuidados com cães e gatos para essa época do ano!

O final de ano é o momento de celebração e festas com a família, os amigos e, claro, os animais de estimação. Quem tem pets sabe das responsabilidades com os bichinhos e de como eles ficam sensíveis durante essa época do ano. Barulhos de fogos e muitas pessoas em casa são os principais motivos de stress dos animais. Os donos devem se preparar para ter cuidados com cães e gatos.

Como fazer então, já que não dá para evitar o barulho, o tumulto e, eventualmente, viagens nas quais não vai dar para levar o animal? Existem maneiras de precaver, ou pelo menos aliviar, o stress dos pets durante as festas de fim de ano. Em todas elas é necessário pensar no conforto e alimentação dos cães e gatos.

Cuidados com cães e gatos em casa nas festas

Os gatos aparentam ser mais fáceis de lidar, mas existem os que ficam mais tímidos e assustados quando chegam visitas em casa. Eles costumam ter um cantinho que correm para se esconder logo quando veem o espaço invadido e onde se sentem seguros. Os donos devem respeitar esse espaço e evitar que as pessoas se aproximem, pois os gatos costumam se reprimir mais ainda ou até mesmo ficar ariscos. Eles sentem, naturalmente, a hora de deixar o local. Os donos precisam checar de tempo em tempo e procurar dar carinho enquanto a casa está cheia para passar para o bichano que está tudo sob controle.

Já os cachorros podem não mudar de temperamento no decorrer de uma visita e se assustar bastante com uma maior quantidade de pessoas na casa. Ao receber convidados para festas de Natal e Ano Novo, o dono precisa deixar o bicho à vontade de acordo com o comportamento dele. Os mais sociáveis podem andar pela casa sem problemas. Aqueles que costumam ficar mais agressivos devem ser colocados em um local onde fiquem mais calmos, com água e comida. O dono precisa dar atenção sempre que possível durante as festas.

Os convidados têm que ser orientados a não dar comidas que tanto os gatos quanto os cachorros não estejam acostumados a comer. Eles podem passar mal e adoecer no momento ou logo depois. A dieta dos pets deve ser a mesma de sempre. Se os animais socializam facilmente, o dono da casa deve orientar os visitantes a dar atenção ao pet também, pois ele ficará mais confortável.

Fogos de artifício

Fogos de artifício

É normal gatos e cachorros se assustarem durante a queima de fogos de artifício e rojões. A reação natural é latir, correr, se esconder em locais pequenos, ter tremores, taquicardia e salivação. Por conta desse comportamento é aconselhável não prender os animais em coleiras, pois podem se enforcar na hora do desespero. É recomendável aos donos não reprimir as reações dos pets. Elas são naturais e eles devem receber atenção e carinho. Seguem algumas dicas para deixar os cães e gatos tranquilos durante os fogos:

  • Dê alimentos leves. Problemas estomacais causados por pânico levam à morte;
  • Mantenha-os em um local seguro dentro de casa, onde seja possível fechar as portas e janelas afim de deixar uma iluminação suave no cômodo;
  • Nas coleiras dos animais deixe-os identificados, caso eles cheguem a fugir;
  • Abafe o som no cômodo o máximo possível, para que ele não escute os fogos.

Planejamento para as festas

O preparo para os pets ficarem confortáveis durante o final do ano começa antes das festas. Os donos têm que levar os animais para o veterinário com antecedência. O objetivo da consulta é falar do comportamento dos cães e gatos em momentos festivos. O veterinário poderá receitar medicamentos que ajudarão o pet a ficar tranquilo ao passar por stress.

A recomendação de ir alguns meses antes é para que os medicamentos façam efeito. Existem remédios que não são efetivos de um dia para o outro. Os donos também devem ficar preparados para possíveis reações alérgicas dos bichinhos. Os hoteizinhos são uma opção para deixar os animais nessa época do ano, caso o dono vá viajar ou já saiba que seu cachorro ou gato não fica bem de forma alguma com as visitas e os fogos. 

Fonte: VivaReal

Entre em contato

Telefone

(41) 3024-6247

R. Atílio Bório, 1307 – Alto da XV, Curitiba – PR

email

lmm@lmmobras.com.br

Empresa Certificada

Conheça a LMM

SOBRE NÓS

 Nosso compromisso é executar obras com qualidade, buscando sempre a satisfação do cliente, atendendo os requisitos legais, visando à melhoria contínua e a manutenção da sustentabilidade.

© 2021- LMM Obras (LMM Construção Civil LTDA) Todos os direitos reservados.

V.1.0

Add to cart