CategoriesDicas Saúde

Outubro Rosa: prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama

O mês de Outubro já é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90. O objetivo da campanha é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, câncer do colo do útero, promovendo a conscientização sobre as doenças, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade.

O que é?
É o tipo de câncer mais freqüente na mulher brasileira. Nesta doença, ocorre um desenvolvimento anormal das células da mama, que multiplicam-se repetidamente até formarem um tumor maligno.

Como a mulher pode perceber a doença?
O sintoma do câncer de mama mais fácil de ser percebido pela mulher é um caroço no seio, acompanhado ou não de dor. A pele da mama pode ficar parecida com uma casca de laranja; também podem aparecer pequenos caroços embaixo do braço. Deve-se lembrar que nem todo caroço é um câncer de mama, por isso é importante consultar um profissional de saúde.

Como descobrir a doença mais cedo?
Toda mulher com 40 anos ou mais de idade deve procurar um ambulatório, centro ou posto de saúde para realizar o exame clínico das mamas anualmente, além disso, toda mulher, entre 50 e 69 anos deve fazer pelo menos uma mamografia a cada dois anos. O serviço de saúde deve ser procurado mesmo que não tenha sintomas!

O que é o exame clínico das mamas?
É o exame das mamas realizado por médico ou enfermeiro treinado para essa atividade. Neste exame poderão ser identificadas alterações nas mesmas. Se for necessário, será indicado um exame mais específico, como a mamografia.

O que é mamografia?
È um exame muito simples que consiste em um raio-X da mama e permite descobrir o câncer quando o tumor ainda é bem pequeno.

O que pode aumentar o risco de ter câncer de mama?
Se uma pessoa da família – principalmente a mãe, irmã ou filha – teve essa doença antes dos 50 anos de idade, a mulher tem mais chances de ter um câncer de mama. Quem já teve câncer em uma das mamas ou câncer de ovário, em qualquer idade, também deve ficar atenta. As mulheres com maior risco de ter o câncer de mama devem tomar cuidados especiais, fazendo, a partir dos 35 anos de idade, o exame clínico das mamas e a mamografia, uma vez por ano.

O auto-exame previne a doença?
O exame das mamas realizado pela própria mulher, apalpando os seios, ajuda no conhecimento do próprio corpo, entretanto, esse exame não substitui o exame clínico das mamas realizado por um profissional de saúde treinado. Caso a mulher observe alguma alteração deve procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo de sua residência. Mesmo que não encontre nenhuma alteração no auto-exame, as mamas devem ser examinadas uma vez por ano por um profissional de saúde!

O que mais a mulher pode fazer para se cuidar?
Ter uma alimentação saudável e equilibrada (com frutas, legumes e verduras), praticar atividades físicas (qualquer atividade que movimente seu corpo) e não fumar. Essas são algumas dicas que podem ajudar na prevenção de várias doenças, inclusive do câncer.

 

Fontes:

Blog da Saúde

Instituto Nacional de Cancer José Alencar Gomes da Silva

CategoriesDicas Saúde Tecnologia

Estudo desmente mito sobre poluição de carros elétricos

Um mito para desencorajar consumidores na hora de optar por veículos elétricos finalmente caiu por terra. Um novo estudo mostrou que os carros elétricos continuam sendo mais limpos e emitindo menos gases de efeito estufa do que os automóveis movidos a combustão.

Mesmo sem eliminar gases de efeito estufa pelo escapamento, há ainda a questão da produção. Justamente de onde saiu o boato, que dizia que eles não eram mais limpos do que aqueles que usam combustíveis porque são recarregados em uma rede de energia “suja”. Além disso, citavam que a mineração de materiais para as baterias era poluente, fazendo com que também tenham uma forte pegada de carbono. Mas não é bem assim.

O estudo foi publicado pelo Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT, na sigla em inglês), um grupo de pesquisa sem fins lucrativos. “Há lobby de partes da indústria automotiva dizendo que veículos elétricos não são muito melhores se levar em conta a produção de eletricidade e a produção de baterias. Queríamos investigar isso e ver se esses argumentos são verdadeiros”, disse Georg Bieker, pesquisador do grupo.

O relatório estimou as emissões de carros elétricos de médio porte registrados neste ano de 2021 na Europa, Índia, China e Estados Unidos, grupo que representa 70% das vendas de carros novos no mundo. Segundo o ICCT, ao longo da vida de um automóvel limpo, as emissões são entre 66% e 69% mais baixas do que um carro a gasolina, na Europa, por exemplo.

Os números variam de acordo com a região. Nos Estados Unidos, o valor fica entre 60% e 68%. Já na China, por exemplo, um país que usa mais energia vinda do carvão mineral, as emissões causadas pelos carros elétricos são de 37% a 45% menores. A Índia é o lugar com menor percentual, mas ainda assim um resultado interessante, com 19% a 34% menos poluição por parte dos veículos.

O estudo leva em consideração carros novos, emplacados em 2021 e com estimativa de 18 anos de circulação. Os autores ainda observaram a matriz energética sob a política existente em cada região, assim como as projeções da Agência Internacional de Energia sobre a futura fonte de eletricidade.

 

 
Carro branco sendo carregado via eletricidade

Mesmo considerando o carregamento e a produção, os carros elétricos são mais limpos que os movidos a combustão. Imagem: Adrian Eugen Ciobaniuc/Shutterstock

“Veículos com motor a combustão de qualquer tipo não são capazes de fornecer as reduções de gases do efeito estufa de que precisamos para conviver com as mudanças climáticas. Essa é uma descoberta global, portanto, precisamos eliminar globalmente os carros com motor de combustão”, completou Bieker.

Os combustíveis fósseis são um dos maiores vilões na crise climática. Governos de diversas regiões, como a União Europeia, propuseram uma eliminação progressiva de motores de combustão interna até 2035. Até 2030, a diferença entre carros elétricos e a gasolina deve aumentar para 74% a 77% na Europa, 62% a 76% nos EUA, 48% a 64% na China e 30% a 56% na Índia.

 

Fonte:  OlharDigital

Via: The Verge / Electrek / Engadget

 

CategoriesSaúde

Dedetização: saiba como preparar a casa para fazer o serviço

Se você não quer encontrar baratas em casa, não esqueça de fazer a dedetização, pelo menos uma vez por ano. Esses e outros insetos, como formigas e traças, costumam se esconder em móveis, principalmente da cozinha, por causa da umidade e restos de alimentos. Depois de instalados, se reproduzem facilmente e fica difícil controlá-los.

Mas atenção: tenha cuidado com venenos. O ideal é contratar um serviço especializado. O biólogo Denis Ramos Rodrigues, responsável técnico na empresa Santista Ambiental, especializada de dedetização e sanitização de ambientes, explica que existem dois tipos de produtos usados no mercado: os de suspensão concentrada (SC) e os de concentrado emulsionado (CE).

Os SC são os mais seguros e modernos para dedetização. Misturados com água, deixam baixo odor nos ambientes. Já os produtos CE, usam solvente na composição, têm cheiro forte e toxicidade maior. Embora mais baratos, devem ser usados com muita cautela. 

Para fazer uma dedetização segura, o ideal é contratar o serviço de uma empresa especializada
Para fazer uma dedetização segura, o ideal é contratar o serviço de uma empresa especializada

Veja o que é necessário fazer 

Antes da dedetização, a recomendação é limpar o ambiente e afastar os móveis dos cantos das paredes. “Não é necessário guardar comidas ou plantas, desde que se use um produto SC e seja feita com pulverização. Também não é preciso nenhum cuidado com móveis. O tratamento é na parede, piso e ralos”, diz Rodrigues, explicando que a dedetização pode ser complementada com iscas em gel nos armários da cozinha e banheiros. 

“A recomendação é ficar fora do ambiente por duas horas, caso a pessoa tenha algum tipo de

alergia. Se não tiver, um uma hora é suficiente. Já os animais domésticos precisam sair por duas horas”, detalha. 

É recomendável fazer uma limpeza na casa antes da dedetização
É recomendável fazer uma limpeza na casa antes da dedetização

Para uso de produtos CE, o indicado é ficar 48 horas fora do local, sejam pessoas ou animais. O cuidado na aplicação também precisa ser redobrado, porque eles podem manchar móveis.  

O ideal é dedetizar a cada seis meses. O preço médio para um apartamento de 80 metros quadrados fica entre R$ 250 e R$ 300, com o uso dos melhores inseticidas. A dedetização é feita em todos os cômodos, com uma altura de até 20 centímetros do chão para as paredes, além de todos os ralos. O serviço é feito, em média, em 1 hora.  

 

Fonte: Zap Imóveis

CategoriesDicas Mudança Saúde

Viva tudo que o Paraná pode oferecer

VIVA TUDO O QUE O PARANÁ PODE OFERECER

Parece que o Paraná foi feito para surpreender você. O Estado é maior que muitos países, como Uruguai, Grécia, Áustria e Portugal. Quando a gente pensa no território, é fácil entender por que o Paraná tem opções que agradam a todos: praias de água salgada e doce, campo com o charme do interior, ilhas que podem ser chamadas de paraísos, a estrutura das grandes metrópoles e também natureza exuberante. São cerca de 90 unidades de conservação, recantos onde a Mata Atlântica está preservada. Tudo por aqui é de encher os olhos.
 

Ilha do Mel
Ilha do Mel – Foto: Acervo SEBRAE – Priscila Forone / Paraná Turismo


No coração do Sul do Brasil, faz divisa com Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e São Paulo, e fronteira com a Argentina e o Paraguai. A hospitalidade do povo paranaense é uma atração à parte. Nem poderia ser diferente, pois a história do Estado é um mosaico étnico-cultural. Índios, negros, italianos, holandeses, alemães, poloneses, ucranianos, portugueses e japoneses fizeram do Paraná o seu lugar no mundo.

Curitiba, a capital, é moderna, sofisticada e cosmopolita. É um retrato da diversidade, com circuito histórico, cultural e gastronômico, além de arquitetura e culinária com influência europeia. E tem muito mais para conhecer e fazer pelo Estado. São 399 municípios, com santuários ecológicos, biodiversidade, destinos e roteiros bem-estruturados.
 

Ópera de Arame - Curitiba
Ópera de Arame em Curitiba – Foto: Acervo Prefeitura de Curitiba / Paraná Turismo


Quem vem de longe, pode escolher entre os oito aeroportos nas diferentes regiões do Estado. E quem prefere cair na estrada, dá carona para ótimos momentos. A qualidade das rodovias permite rodar e se encantar a cada curva do caminho.

Não é somente o lazer que conquista os turistas por aqui. Os negócios e eventos estão no calendário do Paraná o ano inteiro. São eventos técnicos, feiras e oportunidades que andam de mãos dadas com a indústria local forte, do comércio estruturado e da cadeia de serviços em expansão.

Venha conhecer as cidades e as belezas do Paraná. Você vai se surpreender.
 

A Taça
A Taça, Parque Estadual de Vila Velha – Foto: Prefeitura de Ponta Grossa

 

O QUE FAZER

TURISMO COM SOTAQUE PARANAENSE, PARA TODOS OS GOSTOS
 

Icone Cachoeira

No Paraná, a emoção tem cenário de filme, os cartões-postais são cachoeiras gigantes, cânions, montanhas e vales, para quem curte rafting, montanhismo, rapel, caiaque, escalada e muito mais. Nas águas, também sobram opções: pesca, jet ski, passeios de barco, mergulho e surfe…

Icone Museu

Para além do ecoturismo, do sol e das praias, o turismo cultural tem espaço nos quatro cantos do Paraná, com teatros seculares e outros moderníssimos, museus que contam a história da arte e dos povos daqui e do mundo, monumentos, galerias, centros históricos e memoriais.

Icone Folclore Dança

E não para por aí. Festas típicas, folclóricas, e celebrações religiosas são o espelho de um povo de fé, que dá valor as suas origens. O turismo rural e gastronômico completa o quadro. São tantas opções que o Paraná é um ótimo destino para diferentes viajantes.

Icone Caminhada Trecking

Famílias, mochileiros, românticos e religiosos são bem-recebidos nas 14 regiões turísticas paranaenses. Opções não faltam. Faça as malas e venha viver tudo o que o Paraná oferece.

 

 

Rafting em Sengés
Rafting em Jaguariaíva – Foto: Acervo SEBRAE – Mauro Frasson / Paraná Turismo

 

Mapa do Paraná

LUGARES MAIS VISITADOS

Cataratas do Iguaçu – Foz do Iguaçu
Jardim Botânico – Curitiba
Ilha do Mel – Paranaguá
Vila Velha – Ponta Grossa
Estrada de Ferro – Curitiba-Paranaguá
Itaipu – Foz do Iguaçu
Museu Oscar Niemeyer – Curitiba
Parque Arthur Thomas – Londrina
Parque das Aves – Foz do Iguaçu
Santa Felicidade – Curitiba

Onde Ficar PR
Foto: Paraná Turismo

ONDE FICAR

Um mundo de opções para receber bem

Os hotéis no Paraná não deixam nada a desejar para grandes destinos no mundo. As principais cidades concentram opções que vão do bed and breakfast até resorts. Mesmo em locais onde a natureza está praticamente intocada, dá para se hospedar em pousadas charmosas ou acampar e entrar no clima do lugar. Escolha seu destino e faça sua reserva.

Barreado
Barreado – Foto: Paraná Turismo
Carneiro no Buraco
Carneiro no Buraco – Foto: Paraná Turismo

GASTRONOMIA

Uma viagem pelos sabores paranaenses

Os pratos típicos paranaenses têm sabores que são verdadeiras viagens pela cultura e história do Estado. O mais conhecido, sem dúvida alguma, é o barreado do Litoral do Paraná. De origem açoriana, historiadores indicam que a iguaria pode ter sido criada para matar a fome e o cansaço dos foliões do Entrudo (carnaval) – festejos de origem portuguesa que antecediam a Quaresma.

Mas a culinária tradicional paranaense tem muitos outros pratos típicos, cada um com o tempero de uma época, de um povo e de uma região. Carne de onça, carneiro no buraco, costela ao fogo de chão, entrevero de pinhão, pachola, pão no bafo, pierogi, pintado na telha, porco no rolete, porco no tacho, quirera lapeana e muito mais. É de dar água na boca.

E o Paraná ainda tem mesas reservadas para quem gosta da gastronomia contemporânea e das comidinhas da moda. Não faltam restaurantes, bistrôs e botecos – para todos os gostos e bolsos.

Venha saborear os diferentes cardápios dos quatro cantos do estado.

DICAS

ANTES DE LIGAR NA TOMADA, ATENÇÃO!
Aqui no Paraná, a voltagem é 110. Mas quem deseja garantir boas lembranças na volta para casa, deve informar-se. Pois alguns estabelecimentos, hotéis ou residências podem contar com rede 220 volts. Para garantir que você não acabe queimando um eletrônico na viagem, é bom colocar um conversor na bagagem.

O CLIMA CERTO PARA APROVEITAR
Nem só do famoso tempo frio de Curitiba vive o Paraná. Apesar de ter a capital mais gelada do Brasil, o Estado também registra temperaturas altas. Nas regiões Norte, Noroeste e Oeste, o calor não é raridade. Durante o verão, é comum os termômetros girarem em torno dos 30 graus em cidades como Londrina (Norte), Maringá (Noroeste), Paranavaí (Noroeste) e Foz do Iguaçu (Oeste). Como a variação térmica é pequena nessas localidades, as temperaturas médias durante o ano são mais elevadas: entre 18 e 27 graus. Quem viaja para lá não precisa lotar a mala de casacos. 

Praia de Matinhos
Praia de Matinhos – Foto: Acervo SEBRAE – Priscila Forone / Paraná Turismo

VENHA TRANQUILO. É FÁCIL CHEGAR VOANDO AO PARANÁ
Para decolar ou pousar por aqui, você tem várias opções. São dois aeroportos internacionais: o Afonso Pena em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba; e o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Todas as regiões também são bem servidas de voos comerciais nos outros seis aeroportos em operação no Estado, nas cidades de Cascavel, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e Toledo.

DEVO DAR GORJETA?

No Paraná, em geral, são cobrados 10% do total da conta como taxa de serviço. O valor pode estar incluso na fatura ou ser calculado à parte pelo consumidor. O pagamento não é obrigatório. O costume é deixar a taxa de serviço em cima da mesa, em separado, ou entregá-la ao garçom. Quando calculada no total da fatura, paga-se diretamente no caixa. Em hotéis, bares, restaurantes e táxis, as gorjetas não são incluídas. Porém, é de bom tom contribuir com os funcionários, caso o turista deseje.
Algumas casas noturnas e bares cobram entrada ou couvert artístico, algo que não se confunde com a taxa de serviço.

 

Fonte: Viaje Paraná

CategoriesPets Saúde

6 dicas fundamentais para você cuidar de animais em apartamento

Principalmente para quem precisa conciliar as necessidades de um animal de estimação com a vida em apartamento, entender a dinâmica e as regras dessa relação é fundamental para que tanto pets quanto tutores tenham uma vida mais feliz e confortável. Entretanto, mesmo com esses detalhes, manter animais em apartamento é perfeitamente possível, desde que respeitados.

 

Principalmente para quem precisa conciliar as necessidades de um animal de estimação com a vida em apartamento, entender a dinâmica e as regras dessa relação é fundamental para que tanto pets quanto tutores tenham uma vida mais feliz e confortável.

Entretanto, mesmo com esses detalhes, manter animais em apartamento é perfeitamente possível, desde que respeitados os cuidados necessários, como as exigências do condomínio e as condições adequadas para o dia a dia de seu bichinho. 

Foi exatamente por isso que preparamos este post. Aqui, apresentaremos as principais dicas para quem tem ou deseja ter animais em apartamento!

O que a legislação diz sobre animais em apartamento?

Para que não restem dúvidas, é importante deixar claro: nem síndico nem proprietário (no caso de locações) podem proibir a permanência do seu animal no apartamento, pois estariam violando diretamente o seu direito à propriedade. Além disso, visitantes também não podem ser proibidos de entrar com seus pets, já que isso implica inadequações com relação ao direito de ir e vir, assim como causa constrangimento ao tutor do animal. A única pessoa que dispõe de autoridade para designar a retirada do mascote, caso o tutor não apresente uma defesa plausível, é um juiz de direito.

Vale lembrar que, ainda assim, é necessário respeitar algumas regras básicas, como não deixar que o animal incomode os outros moradores, utilizar focinheira e evitar que o bicho esteja solto em áreas comuns (apenas no caso seja bravo) e sempre recolher os dejetos deixados pelo animal.

Lembre-se também de que se o seu pet já vive no apartamento há mais de 5 anos e nunca recebeu uma reclamação, ele não pode ser removido, mesmo que as regras do edifício sofram alterações. Caso esse direito não seja respeitado, é possível recorrer judicialmente — os juízes, inclusive, tendem a favorecer a permanência do animal.

Como criar o seu pet em um apartamento?

Para garantir uma vida feliz ao seu companheiro, é imprescindível seguir alguns passos, que, apesar de bastante simples, são muito importantes. 

1. Conheça as regras do condomínio

Já ciente de seus direitos, é interessante se alinhar às regras do condomínio ou administração do edifício. Tenha em mente que o regulamento pode variar de acordo com cada lugar, sendo mais flexível ou mais exigente. Entender o funcionamento do seu prédio é importante para garantir o bem-estar de seu pet e dos demais moradores, além de evitar constrangimentos.

2. Priorize a segurança de seu pet 

Um dos pontos mais importantes para garantir uma vida tranquila para seu bichinho é ter atenção à segurança dele. Pensando nisso, instale telas de proteção nas janelas e tenha cuidado com fios elétricos expostos. Assim, você evita possíveis acidentes que seriam desastrosos para seu animal de estimação.

3. Não descuide da higiene 

Como o ambiente de permanência do animal é bastante reduzido em um apartamento, tenha especial atenção à higiene, tanto do pet quanto do ambiente. Utilize produtos específicos para eliminar o odor de urina e fezes, de modo a evitar a proliferação de microrganismos. Também é imprescindível ter uma rotina regular de banho e tosa (se preciso), além de manter em dia a desparasitação e o calendário de vacinação.

4. Cuide da saúde mental de seu bichinho 

Esse é, talvez, um dos pontos mais importantes dessa lista. Isso porque a saúde mental do seu animal tem uma influência muito grande sobre a felicidade dele. Então mantenha uma rotina de passeios diários, já que isso permite que o pet se exercite e se divirta. Ademais, enriqueça o ambiente com brinquedos, desafios e recompensas ao seu bichinho.

5. Opte por um apartamento com área de serviço

Mesmo que o seu pet esteja habituado a fazer as necessidades apenas durante os passeios, há sempre aqueles dias em que não é possível sair de casa, como durante chuvas muito fortes. Assim, uma boa saída é ter um apartamento com área de serviço para que o animal tenha uma alternativa.

6. Proporcione um treinamento adequado 

Para garantir que todas as dicas sejam efetivas, é importante proporcionar o treinamento adequado ao seu mascote. Desse modo, você evita comportamentos inadequados e facilita a sua rotina. Além dos habituais truques, como sentar e dar a pata, é importante ensinar o animal a respeitar os seus “nãos”, entender em que lugar ele pode ou não fazer xixi etc. Uma boa prática é socializar o bichinho desde filhote para que, futuramente, ele não apresente problemas de comportamento, tanto com relação a pessoas como a outros animais.

Para evitar conflitos com os outros moradores ou com a administração do edifício, esteja alinhado às políticas do condomínio e às exigências do síndico. Assim, é possível garantir uma vida tranquila para o seu pet e evitar desgastes com seus vizinhos.

Fonte: Imóvel Web

CategoriesSaúde

Mantenha seu ar-condicionado limpo e evite problemas de saúde

Filtro do aparelho deve ser higienizado, pelo menos, uma vez por mês.

A manutenção e limpeza do ar-condicionado é um assunto que precisa estar em pauta periodicamente e não apenas no período do verão. Quem tem esse aparelho no ambiente de trabalho ou em casa conta com conforto e bem-estar. No entanto, a boa qualidade do ar e a vida útil do equipamento dependem de boas práticas.

Com certeza você já deve ter ouvido falar que é importante limpar o filtro do ar-condicionado, mas talvez ainda não saiba os reais motivos que ressaltam essa necessidade. A eficácia do aparelho não é a única vantagem envolvida, pois também há ganhos com economia de energia, uma vez que o equipamento não precisará fazer mais esforço para desempenhar sua função.

Ainda tem dúvidas sobre a importância da limpeza periódica e da manutenção preventiva do ar-condicionado? Continue lendo este artigo, porque vou tentar esclarecer tudo a respeito do assunto.

Por que a manutenção e limpeza do ar-condicionado são importantes?

Não há dúvidas de que o ar-condicionado passou a ser um item popular em diversas residências, escritórios e estabelecimentos no Brasil, que é o típico país com clima quente.

Mais acessível com o passar do tempo e mais demandando nos períodos do verão, o ar-condicionado funciona de maneira bem simples: captando o ar externo, refrigerando-o e substituindo o ar quente do ambiente pelo resfriado.

Nesse processo, o uso do aparelho — independentemente da constância — e a exposição ao ambiente acabam exigindo um cuidado especial. A começar pelo filtro, uma vez que ele acumula resíduos, principalmente poeira e pelos de animais, capazes de obstruir a saída de ar.

Por isso, é importante que a manutenção e limpeza do ar-condicionado seja feita periodicamente. São diversas as vantagens adquiridas com essa prática. Entre elas estão:

  • não acúmulo de ácaros, bactérias e fungos no aparelho;
  • prevenção contra vazamentos;
  • inibição do mau cheiro;
  • redução dos gastos com de energia elétrica;
  • redução dos ruídos;
  • prevenção de problemas de saúde aos usuários;
  • manutenção da capacidade de gelar o ambiente;
  • prevenção contra o congelamento das peças;
  • impedimento das falhas nas bobinas e compressores;
  • prevenção contra o enferrujamento e corrosão das peças, aumentando a vida útil do aparelho;
  • obstrução e entupimento das turbinas, filtros, serpentinas e canos.

Qual o melhor período para a manutenção e limpeza do ar-condicionado?

Agora que você já sabe por que é importante manter esse equipamento limpo, vamos abordar o período em que esse cuidado especial precisa entrar em foco. Afinal, há muita dúvida acerca desse assunto.

Quem deseja assegurar a qualidade do ar precisa efetuar fazer a limpeza completa semestralmente. Vale dizer que, esse período não muda de acordo com a constância do uso. Afinal, mesmo quando o aparelho está de desligado, a poeira carregada de fungos, bactérias, ácaros e outras impurezas costuma se acumular nas partes interiores.

Muitas pessoas deixam o ar-condicionado de lado durante muito tempo nas estações mais frias. Com isso, acham que a limpeza interna e manutenção são desnecessárias. Isso é um engano perigoso, pois pode trazer doenças respiratórias por meio de bactérias.

Como você deve ter visto na lista de vantagens, muitas delas vão além da limpeza do filtro e estão mais relacionadas a uma limpeza mais profunda. Esse tipo de manutenção é o que garante o funcionamento pleno das máquinas.

Isso porque a higienização completa é acompanhada por testes de funcionamento, verificação de peças soltas ou danificadas, mapeamento de possíveis falhas e outras ações que só podem ser desenvolvidas por profissionais.

Já vamos falar mais sobre a limpeza da parte interna, mas antes disso, que tal dar uma olhada em dicas do que você pode fazer para conservar a parte externa? Fique de olho nos conselhos a seguir.

Limpe o filtro do ar condicionado periodicamente!

Existe uma parte da manutenção e limpeza do ar-condicionado que você mesmo PODE e DEVE fazer, pelo menos a cada 2 meses. Além da limpeza da carcaça da máquina, você pode se responsabilizar pela higiene do filtro. Com poucos passos, é possível garantir a melhora da qualidade do ar que se respira, fugindo de bactérias que provocam reações alérgicas em pessoas mais sensíveis.

A limpeza do filtro frontal pode ser executada por qualquer pessoa!

O ideal é que a limpeza do filtro seja feita de dois em dois meses, no mínimo. Caso o ambiente seja muito empoeirado, esse cuidado deve ser feito toda semana. Acompanhe as instruções sobre como limpar o filtro do ar condicionado você mesmo, de forma rápida e eficaz:

1) Desligue o aparelho da tomada! Se o seu ar não estiver conectado diretamente a uma tomada acessível, desligue o disjuntor que o alimenta. Essa é uma parte muito importante que a maioria das pessoas esquece, e evita o risco de possível choques elétricos;

2) Destaque o painel frontal e higienize com um pano seco. Se ele estiver muito sujo, você pode fazer a limpeza com água morna (abaixo de 48º C) umedecendo o mesmo pano, ou ainda utilizando um limpador de uso geral popularmente conhecido como “espuma mágica”, que custa menos de R$ 20.

Essa espuma é facilmente encontrada na maioria dos supermercados ou lojas online, e existem pelo menos 2 marcas que já vi, mas a qualidade e a composição são as mesmas.

Importante: jamais utilize álcool em qualquer parte do seu ar condicionado para limpeza, assim como nunca deve fazer com qualquer outro equipamento que utiliza eletricidade, pois ele pode incendiar facilmente.

3) Retire o filtro do aparelho e o higienize também com água morna e detergente neutro utilizando uma esponja para esfregar a grade do filtro até eliminar todas as partículas de sujeira.

Tenha o cuidado de jogar a água no sentido contrário de onde o ar entra. Nada de utilizar produtos químicos muito fortes, aspirador de pó ou outras ferramentas para escovar o filtro. Você poderá achar que está ajudando enquanto apenas danificará a sua máquina ou vai causar um odor insuportável quando ligar o aparelho.

O único produto químico que você pode usar se quiser se sentir “mais seguro” de que eliminou todos os fungos e bactérias, é o Lysoform Spray, da marca Bom Bril ou similares que encontrar com composição química semelhante.

O Lysoform é um bactericida potente que mata germes, fungos e bactérias, então é ideal para aplicar na telinha do filtro do seu ar condicionado.

Aplique o Lysoform na telinha do filtro do ar condicionado somente depois de retirar a sujeira visível lavando ela com água e detergente ou sabão neutro. Então, aplique o bactericida e deixe-o agir por uns 10 minutos, em seguida, lave o filtro novamente em água corrente para retirar o excesso de Lysoform.

Caso opte por utilizar o Lysoform, recomendo ainda que compre a versão “sem perfume”, pois as variações perfumadas desse produto produzem um cheiro bem forte que pode ser insuportável para algumas pessoas em ambientes fechados;

4) Com a limpeza terminada, deixe o filtro secar naturalmente — você pode bater nele com cuidado para retirar o excesso de água;

5) Recoloque o filtro na máquina e feche o painel. Ligue-o novamente na energia.

Dica: caso seu ar condicionado possua alguma função de secagem (normalmente identificada como “dry” no controle ou nos modos de operação), ative-a e deixe funcionando no máximo de ventilação e mínimo de temperatura por uns 10 minutos.

Exemplo de botão “dry” em controle remoto de ar condicionado. Imagem: reprodução/LG

Como fazer a limpeza das partes internas?

Agora que já falamos sobre a limpeza mais fácil, vamos finalizar lembrando do mecanismo interno. Essa iniciativa conhecida como manutenção preventiva deve ser feita somente por técnicos especializados no assunto. Afinal, você realmente saberá como dar conta da higienização dos trocadores de calor?

Pelo menos uma vez no ano, procure profissionais da área para garantir a limpeza preventiva. Ela pode ser realizada no próprio local onde o aparelho está instalado, com a remoção da parte frontal.

Limpeza profissional de ar condicionado split. Imagem: reprodução/internet.

O técnico deverá se responsabilizar pela remoção de toda a sujeira mais profunda que costuma ficar incrustada na evaporadora, turbina e filtros. As peças que precisam constar no checklist técnico são:

  • bandeja;
  • serpentina;
  • parte frontal;
  • rotor ventilador;
  • trocadores de calor;
  • cano de dreno.

O ideal é que sejam utilizados apenas equipamentos específicos e produtos biodegradáveis, próprios para climatizador. Além disso, a empresa contratada precisa aplicar um bactericida eficiente no prolongamento dos efeitos da limpeza.

CategoriesSaúde

Multa em condomínio: o que você precisa saber

Por Laiane Dantas

Administrar um condomínio requer expertise em diversas áreas, seja ela financeira, contábil ou gestão de pessoas. Porém, uma área primordial é o direito condominial. Isso porque as relações entre os condôminos, obrigações dos síndicos, entre outros, estão disciplinadas no ordenamento jurídico brasileiro.

Com base na legislação, iremos falar sobre um tema que gera muitas dúvidas para o gestor de propriedade: multa em condomínio. Como agir em casos que é imprescindível a aplicação de algo mais rígido? O que a lei diz? Qual a limitação do valor?

Quando as multas em condomínios são permitidas?

As penalidades são oriundas do descumprimento de alguma obrigação por parte do condômino, seja ela por inadimplência ou por comportamentos inadequados e reiterados. Sempre que houver qualquer situação decorrente do mencionado acima, é possível a aplicação da multa, guardadas as suas devidas proporções. O Código Civil elenca dentro de uma das obrigações dos condôminos, por exemplo, o pagamento das taxas a dívidas condominiais.

O condômino que não pagar a sua contribuição ficará sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de um por cento ao mês e multa de até dois por cento sobre o débito.

A realização de obras que comprometam a segurança da edificação gera multa prevista no ato constitutivo ou na convenção, independentemente das perdas e danos que se apurarem; não havendo disposição expressa, caberá à assembleia geral deliberar sobre a cobrança da multa. Utilizar a edificação de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores, ou aos bons costumes, também será passível de multa prevista no ato constitutivo ou na convenção.

O condômino que, por seu reiterado comportamento antissocial, gerar incompatibilidade de convivência com os demais, poderá ser constrangido a pagar multa correspondente.

Aqueles que não cumprem reiteradamente com os seus deveres poderão, por deliberação, ser notificados a pagar multa correspondente até ao quíntuplo do valor atribuído à contribuição para as despesas condominiais, conforme a gravidade das faltas e a reiteração, independentemente das perdas e danos que se apurem.

Quem pode fazer as cobranças?

O papel do síndico é representar ativa e passivamente o condomínio, defendendo-o em processo judicial e extrajudicial, além dos interesses comuns do condomínio e praticar os atos de administração.

Nesse sentido, o síndico atua como órgão da comunidade de condôminos. O código civil estabelece as obrigações, dentre elas, realizar as cobranças nos condomínios. Vejamos:

Art. 1.348. Compete ao síndico:

VII- Cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas, bem como atuar a fim de entender como reduzir a inadimplência.

Portanto, a obrigação em realizar as cobranças é do síndico, que opta, na maioria das vezes, pelo apoio jurídico.

É possível uma ação judicial em caso de não pagamento? Como funcionam as ações judiciais?

Em casos em que o condômino não cumpra com o pagamento é possível o ingresso com uma ação judicial cabível, a fim de que o condomínio receba o valor devido. Porém, é importante que o síndico esteja disposto a, antes de ajuizar a ação, tentar realizar um acordo extrajudicial, quando o recebimento certamente será mais rápido do que o processo judicial.

Fonte: Imóvel Magazine

CategoriesDicas Saúde

Confira 10 dicas para uma alimentação saudável

Confira 10 dicas para uma alimentação saudável

Perdas e Ganhos: o desafio da perda de peso e mudança de hábitos, com Cynthia Howlett.

Fonte: Livro “A cozinha vegetariana de Astrid Pfeiffer”. Editora Alaúde.

1. Faça as refeições com calma

Seu organismo precisa deste tempo para processar os alimentos. Grande parte das enzimas digestivas (50%) são secretadas por estímulos sensoriais (visão, olfato, tato, paladar).

2. Mastigue bem os alimentos

A digestão se inicia na boca com a trituração dos alimentos e ação da salivação. A mastigação deve tornar o alimento pastoso, facilitando o processo digestivo. Quando há ansiedade, o controle da ingestão de alimentos é prejudicado e, muitas vezes, comemos mais. Quando mastigamos bem, automaticamente estamos trabalhando com a ansiedade e promovendo a saciedade fisiológica (verdadeira). Então, não coma em menos de 20 minutos cada refeição.

3. Líquidos x Refeição

Não ingira líquidos junto com as refeições. O líquido faz com que você não mastigue bem os alimentos e atrapalha o processo digestivo. Procure utilizar líquidos 30 minutos antes ou 60 minutos após as refeições principais. No entanto, se a refeição estiver salgada o ideal é ingerir água durante.

4. Horários para as refeições

Tenha horário para suas refeições. Ele faz com que nosso organismo mantenha um ritmo, com estabilidade nutricional e hormonal.

5. Alimente-se a cada 3 horas

Nosso cérebro precisa de aporte constante de glicose (carboidrato). A inconstância em receber esse nutriente, traz redução da nossa disposição, além de proporcionar perda de massa muscular. Além disso, comendo de 3 em 3 horas, a fome e a voracidade se mantêm sob controle, evitando episódios de compulsão alimentar.

6. Alimentos integrais

Consuma alimentos integrais. Eles contém vários nutrientes que estão na película do grão. São excelentes para manter os níveis de glicemia (açúcar no sangue), têm fibras que servirão de alimento para as bactérias benéficas do intestino, ajudam no controle do colesterol e na saciedade.

7. Consuma frutas e hortaliças

Ingira verduras, legumes e frutas. Eles são ótimas fontes de fibras, vitaminas e minerais. Contém também fitoquímicos (polifenóis, carotenóides, flavonóides, dentre outros) os quais são excelentes antioxidades (protetores das nossas células)

8. Evite alimentos refinados

Os alimentos considerados brancos (pão, açúcar, trigo, arroz), além de não conter mais a sua película – onde estava a maioria dos nutrientes – também passam por um processo químico chamado de branqueamento. Neste processo, diversas substâncias químicas são adicionadas, com potencial efeito negativo para nosso organismo. Os alimentos refinados não alimentam nossas bactérias “boas”. Assim, poderá favorecer o crescimento das bactérias patogênicas (ruins) e desequilibrar nossa flora intestinal.

9. Ingira líquido

A ingestão de líquidos durante o dia faz com que nosso corpo se mantenha bem hidratado e ajude o organismo a transportar os nutrientes que precisamos. O melhor método que temos para verificar nossa hidratação é a cor da urina, a qual deve estar amarela bem clara.

10. Evite os industrializados

Evite alimentos industrializados, processados e embutidos. Estes produtos contêm inúmeras substâncias químicas que não são reconhecidas pelo nosso organismo. O consumo desses alimentos em quantidade excessiva demanda trabalho do fígado para neutralizar corantes, conservantes, etc, e depois eliminá-los, muitas vezes com auxílio dos rins. Alguns produtos com potencial efeito cancerígeno podem ser recebidos pela ingestão desses produtos ou serem produzidos no processo de desintoxicação. Pode haver comprometimento do sistema imunológico e processos alérgicos devido à ingestão de produtos estranhos ao nosso organismo.

CategoriesDicas Pets Saúde

9 produtos para o seu Pet ter em Casa

A chegada de um gatinho ou cachorrinho em casa gera empolgação. Todo mundo quer fazer carinho e brincar. Só que existe uma preparação para a chegada do novo morador. Além de ter um cantinho próprio, o bichinho ficará mais confortável e feliz se já encontrar alguns itens. Confira nove produtos para o pet que não podem faltar no seu lar.

Produtos para o pet ter um cantinho na casa

1 – Caminha

Produtos para pet - caminha

O primeiro produto para pet é bem óbvio: uma caminha. Ela será o espaço para dormir e até mesmo brincar. Para comprar a caminha ideal é essencial saber o tamanho do bichinho e o quanto ele ainda vai crescer. O veterinário é o profissional indicado para dar essas medidas. Com esta informação em mãos, é hora de olhar as opções. 

Além da diferença de tamanho, as caminhas têm uma infinidade de estampas, tecidos e tipos de colchão. No decorrer do tempo é necessário cuidar da limpeza e observar o quanto ela pode estar desgastada. Seu pet também precisa dormir bem.

2 – Vasilhas de ração e água

Tão importante quanto ter o cantinho para dormir é ter um espaço para se alimentar, por isso além da caminha é necessário já ter as vasilhas onde serão colocadas a ração e a água dos pets. Fique atento para não deixar a água acabar e siga a dieta sugerida pelo veterinário. 

Mantenha as duas em um local onde as pessoas da casa e os visitantes não chutem ou pisem por acidente. Não esqueça de higienizar as vasilhas e até mesmo trocar quando estiverem desgastadas. 

3 – Caixa de areia e granulado

9 produtos para o pet ter em casa

Para os gatinhos existe um item indispensável. Se você já visitou alguém que tem um felino provavelmente deve ter notado uma caixa de areia e granulado. É nela onde os gatos fazem suas necessidades. 

Existem no mercado diversas opções de caixas e granulados. Cada uma delas oferece características diferentes, como ser mais eco-friendly ou durar mais. O preço vai variar de um tipo para o outro. 

Produtos para o pet ter em casa para se divertir

4 – Brinquedos

9 produtos para o pet ter em casa

Hoje em dia existem diversos produtos para os pets se divertirem em casa. Os brinquedos variam desde a tradicional bolinha até bichinhos. Para os cachorros geralmente são para morder. 

Já para os gatos, os brinquedos costumam ser para arranhar ou varinhas com guizos para fazê-los pular. Brinquedos estimulam os pets, pois eles também precisam de atividades para os músculos e até mesmo marcar território. 

5 – Arranhador

Falando em brinquedos para arranhar, um produto para os gatinhos terem em casa para se divertir e ajudar no bem-estar são os arranhadores. Com eles, os felinos ganham uma série de benefícios, como: 

  • Afiar e lixar as unhas; 
  • Alongar-se;
  • Deixar seu odor natural, marcando assim seu território;
  • Aliviar a vontade de arranhar outros móveis da casa. 

Produtos para o pet que são essenciais para os donos

6 – Coleira

Para os cachorros, as coleiras são essenciais para passear. Elas também cumprem outra importante função. Os donos podem colocar nelas informações para contato caso os bichinhos se percam. Nesse ponto o mesmo vale para os gatos. 

Só que isso não significa que elas não possam ser usadas para deixar seu pet com estilo. Existem muitos modelos de coleiras. Tem todas as cores e pingentes em vários formatos para gravar as informações. 

7 – Pente e escova  para pelos

9 produtos para o pet ter em casa

Cachorros e gatos costumam soltar bastante pelo, principalmente aqueles de raça de pelos longos. O pente e a escova são produtos para o pet que ajudam a tirar os pelos em excesso e evitam que se espalhem pela casa. O mercado oferece uma variedade desses produtos. Converse com o seu veterinário para saber qual é o mais indicado para seu bichinho.

Produtos para o pet ter personalidade

8 – Roupinhas

9 produtos para o pet ter em casa

Há tempos que as roupinhas se popularizaram entre os pets. A variedade de estampas e estilos garante uma personalidade única para cada cachorro ou gatinho. Eles também podem ser rockeiros ou geeks, por exemplo. Assim como para nós, as roupinhas vão além do estilo. Uma de suas utilidades é aquecer os pets em época de frio. 

9 – Fonte de água para beber

Os gatinhos gostam de objetos em movimento. Uma fonte de água em casa é útil para chamar a atenção principalmente para lembrá-los de se hidratar. Ao mesmo tempo elas podem dar um charme para a casa ou para o cantinho do felino. 

Em caso de dúvidas sobre que produtos para o pet comprar sempre consulte um veterinário!

Fonte: Zap

CategoriesDicas Saúde

Saiba como será o agendamento da vacina contra a Covid-19 em Curitiba; tire as dúvidas

vacinação em Curitiba contra a Covid-19 começa nesta quarta-feira (20), apenas para os profissionais que vão aplicar as doses na população. Serão cerca de 200 pessoas. Na sequência, segundo informou a secretária de saúde, Marcia Huçulak, estas pessoas irão vacinar idosos e cuidadores de 127 casas de permanência. Logo depois, começará a vacinação dos profissionais de saúde de acordo com uma lista fornecida pelos próprios hospitais.

Não há previsão para a data em que a população em geral comece a ser vacinada. Porém, a prefeitura já avisou que, com exceção dos idosos em lares e instituições de longa permanência como asilos e dos indígenas (cuja vacinação será encaminhada pela SMS), todas as pessoas dos demais grupos receberão a informação do dia e horário da vacina pelo aplicativo Saúde Já.

Imagem ilustrativa – SMCS

O agendamento será feito pela Secretaria Municipal da Saúde e a informação do dia e horário para comparecer ao Centro de Imunização, no Barigui, será enviada pelo aplicativo. Não será possível agendar a vacina pela própria iniciativa.

Segundo a prefeitura, qualquer cidadão que mora em Curitiba, independentemente de ter ou não plano privado de saúde, pode baixar o aplicativo e fazer o pré-cadastro.

O aplicativo está disponível nas versões Android, iOS e web. O Saúde Já Curitiba é gratuito e, para acessar, basta informar o número do Cartão SUS (ou CPF) e a data de nascimento. Mais informações www.saudeja.curitiba.pr.gov.br.

Quem não quiser tomar a vacina poderá optar pelo termo de recusa, que o aplicativo oferece. A opção aparece como “Não quero vacina”.

Confira outras dúvidas:

O que acontece se a pessoa não puder comparecer na data agendada?
O aplicativo oferece as opções “Confirmar” e “Não confirmar”, que poderão ser acionados. No caso de não confirmar, uma nova data será reagendada conforme disponibilidade de dose.

Como serão avisados da vacina as pessoas não familiarizadas com a tecnologia dos smartphones?
Entre as funcionalidades, o aplicativo Saúde Já possui um ícone para cadastrar dependentes, filhos, netos ou outro responsável, que poderá cadastrar qualquer pessoa no aplicativo, desde que ela tenha vínculo com uma Unidade de Saúde.

A vacina será gratuita?
Sim, pois será aplicada apenas pelo Sistema Único de Saúde neste momento.

A vacinação acontecerá ao mesmo tempo para todos os cidadãos?
Não, já que não há disponibilidade de vacinas no mercado mundial. A imunização vai ocorrer de forma gradativa, por fases, e de acordo com a disponibilidade da vacina, até atingir toda a população. Os grupos mais expostos ao risco do contágio serão os primeiros a serem vacinados – e assim sucessivamente.

Como acontecerá a vacinação em Curitiba?
O Plano Municipal de Vacinação da cidade segue as orientações do Ministério da Saúde, e conta com cinco fases, priorizando por ordem de atendimento a população mais vulnerável e exposta ao risco de contaminação do novo coronavírus.

Quem faz parte da primeira fase?
Profissionais de saúde que trabalham ou moram em Curitiba, idosos que moram em instituições de longa permanência (asilos) e indígenas da aldeia Kakané-Porã, agentes funerários, equipes da FAS e Guarda Municipal e estudantes de cursos de saúde que fazem estágios na área. Mesmo dentro das fases, existem os grupos prioritários.

Quem faz parte da segunda fase?
Idosos acamados, pessoas acima 80 anos, pessoas entre 79 e 75 anos, de 74 a 70, de 69 a 65 e de 64 a 60, funcionários e população privada de liberdade.

Quem faz parte da terceira fase?
Cardiopatas graves, diabéticos, hipertensos, obesos, doentes neurológicos, pessoas com deficiências permanentes severas, pessoas com neoplasias, imunossuprimidos e transplantados e população de rua.

Quem faz parte da quarta fase?
Trabalhadores essenciais, como os de limpeza pública, segurança pública, motoristas e cobradores, professores, taxistas e motoristas de aplicativos.

Quem faz parte da 5ª fase ?
Grupos não prioritários, como a população com menos de 60 anos, seguindo a ordem de idade, dos mais velhos para os mais jovens.

As vacinas serão aplicadas nas Unidades de Saúde?
Por se tratar de uma pandemia e de uma vacina nova, nesta primeira fase as vacinas serão aplicadas no Centro de Imunização (Pavilhão da Cura), no Parque Barigui. O local conta com todas as condições de segurança e controle para vacinação.

Como nesta primeira etapa serão vacinados profissionais da saúde que estão na linha de frente da covid, a Secretaria Municipal da Saúde optou em centralizar a vacinação num local que ofereça e espaço suficiente para distanciamento social, sem aglomerações. Isso evitará a circulação de pessoas em Unidades de Saúde nesse momento ainda crítico da pandemia. Na sequência, a estrutura que será usada para os grupos subsequentes será amplamente divulgada.

Quem é do grupo prioritário pode ir direto ao Centro de Imunização da covid-19 no Centro de Imunização do Parque Barigui?

Não. A Secretaria Municipal da Saúde preparou um esquema de agendamento de vacinas pelo Aplicativo Saúde Já, plataforma da Prefeitura de Curitiba

PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Profissionais de saúde que trabalham em Curitiba, mas moram em outra cidade, terão direito à vacina?
Sim. Neste caso, é preciso baixar o Saúde Já e fazer um pré-cadastro. A Secretaria Municipal da Saúde tem as relações enviadas pelos serviços de saúde e fará o pré-cadastro dos profissionais.

Profissional de saúde que mora em Curitiba, mas trabalho em outra cidade, terá direito a vacina?
O/a profissional deverá ser incluído/a no cronograma do município onde tem o seu vínculo trabalhista. Caso isso não ocorrá, entrará na listagem de Curitiba de acordo com seu grupo de prioridade.

Como a Prefeitura de Curitiba saberá quem é profissional da Saúde?
Os hospitais e outros serviços de saúde da cidade, além dos conselhos de classe estão enviando para a Secretaria Municipal da Saúde a relação de profissionais, com toda a documentação pertinente, que será conferida no momento da vacinação.

PRIMEIRA FASE

Quantos serão imunizados nessa primeira fase?
A estimativa é vacinar 80 mil pessoas desses grupos da primeira fase

Dentro da primeira fase haverá grupos prioritários?
Sim, todas as fases terão seguirão uma ordem de prioridade: primeiro sempre os que são mais expostos ao risco de contágio.

Quem serão as primeiras pessoas a serem vacinadas em Curitiba?
As equipes de vacinadores da cidade, ou seja, os profissionais da saúde responsáveis por aplicar as vacinas na população. Depois, os idosos moradores de instituições de longa permanência, trabalhadores de saúde que estão na linha de frente da covid-19, além dos 150 indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no Tatuquara.

Como será a vacinação dos idosos que moram em instituições de longa permanência?
Os cerca de seis mil moradores e funcionários das cerca de 170 instituições que abrigam idosos em Curitiba serão vacinados dentro das próprias instituições pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde. O dia e a hora serão agendados previamente e os fucionários serão avisados pelas instituições a comparecerem no dia e horário marcados, com documentos como RG e CPF.

Todos os funcionários e moradores destas instituições já são acompanhados pela Secretaria Municipal da Saúde por meio dos Distritos Sanitários.

As instituições que têm casos de covid-19 confirmados não receberão a vacina neste momento. Nestes casos, o prazo para a vacina é no mínimo 30 dias após a confirmação.

Qual a sequência de vacinação para dos profissionais de saúde?
Os primeiros a serem vacinados são as equipes que trabalham nas alas covid-19 dos hospitais de referência ao atendimento da pandemia. São 12 mil profissionais nessa condição.

As vacinas serão aplicadas no Centro de Imunização da Covid-19, no Parque Barigui. Os profissionais serão avisados do dia e horário pelo aplicativo Saúde Já.

Após os profissionais das UTIs e enfermarias de covid-19, a vacinação terá a seguinte sequência, por ordem de risco:

  • Equipes que trabalham nos setores covid-19 das UPAs e no SAMU)
  • Agentes funerários conforme relação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente
  • Equipes de Unidades de Saúde, CAPs e Centros de Especialidades Municipal e de outros setores dos hospitais e UPAs que atendem covid-19
  • Trabalhadores de outros hospitais e clínicas
  • Equipes dos Distritos Sanitários, setores administrativos de serviços de saúde e trabalhadores de saúde afastados por fatores de risco;
  • Equipes da FAS (Fundação de Ação Social) e Guarda Municipal;
  • Profissionais de consultórios e similares;
  • Trabalhadores de laboratórios de análises clínicas

SOBRE AS VACINAS

Posso escolher qual vacina vou tomar: Coronavac, Oxford/Astrazeneca ou outra que venha a ser aprovada pela Anvisa?
Não. A princípio, o Brasil tem duas vacinas aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária): CoronaVac (Instituto Butantan) e AztraZeneca (Fiocruz).

Outras mais poderão ser aprovadas futuramente. No entanto, no momento da vacinação será aplicado o imunizante que estiver disponível, de acordo com as doses enviadas pelo Ministério da Saúde e, não haverá possibilidade de escolha.

Posso receber a primeira dose de um laboratório e a segunda dose de outro laboratório? Como será esse controle?
Não é recomendado que uma mesma pessoa receba doses de laboratórios diferentes, pois não há estudos no mundo que assegurem a resposta imunológica correta no caso da intercambialidade de vacinas.
Toda pessoa vacinada terá toda rastreabilidade do imunizante aplicado (qual laboratório, lote, etc). Essas informações constarão na carteira de vacinação. A SMS tem um histórico de muitos anos na coordenação e eficiência na aplicação de diferentes doses de vacina na população.

A segunda dose deverá ser aplicada quanto tempo depois da primeira?
Depende da orientação de cada fabricante. De qualquer forma, o/a cidadão/ã será avisado/a da segunda dose também pelo aplicativo.

A imunização começa a fazer feito quanto tempo depois de aplicada a vacina?
Depende de cada vacina, mas em geral, para fazer efeito um imunizante leva no mínimo 3 semanas.

Quanto tempo dura a imunização?
Ainda não se sabe. As vacinas aplicadas no mundo todo são ainda de caráter emergencial. Para determinar a eficácia de duração dos imunizantes é preciso o acompanhamento por meio de pesquisas, dos vários grupos vacinados.

Com a vacina, é possível flexibilizar as medidas de precaução da doença?
Não. O uso de máscaras, distanciamento social, higiene das mãos são medidas necessárias mesmo após a vacina. Ainda estamos muito longe da possibilidade de relaxamento pessoal, que avançará na medida em que a vacinação seja ampliada para todos os grupos.

Uma pessoa vacinada – ou que já tenha contraído o novo coronavírus – continua sendo um agente de transmissão da covid-19.

Além disso, a vacinação completa da população ainda levará muitos meses.

Menores de idade e gestantes serão vacinados?
Como não houve tempo hábil suficiente para testes e pesquisas com esses grupos, a vacinação não é recomendada.

Fonte: Banda B

Entre em contato

Telefone

(41) 3024-6247

R. Atílio Bório, 1307 – Alto da XV, Curitiba – PR

email

lmm@lmmobras.com.br

Empresa Certificada

Conheça a LMM

SOBRE NÓS

 Nosso compromisso é executar obras com qualidade, buscando sempre a satisfação do cliente, atendendo os requisitos legais, visando à melhoria contínua e a manutenção da sustentabilidade.

© 2021- LMM Obras (LMM Construção Civil LTDA) Todos os direitos reservados.

V.1.0

Add to cart